terça-feira, abril 21, 2009


Como eu queria

Ahh,como eu queria...
como saltaria
para fazer casa de mim,
os teus olhos de inocência
à revelia...

das insensatas moradias
que se outorga o homem
robusto, pueril
duro no despeito de si
acuado em explosão de falsa alegria
euforia!

E o que há de ser que se faria
para ter em paz
um facho reluzente desse sorriso

ahh, como eu queria
ser a doçura que clama
nestes olhos de chama
que chamam...
que conclamam uma existência maior
no agora,
do mundo novo cada segundo
que enclausuramos nas coerções
afasia...

ahh, como eu queria..
só agora
ser essa idade doce
no êxtase que existia...