terça-feira, abril 24, 2007


E os desígnios da ancestralidade tem permeado minhas reflexões permanentemente. Não sei mais quem sou e no retorno de alguns extremismos desnecessários e exacerbados procuro por algo que me conduza de volta à minha casa. Não... Meus valores ainda não se tornaram ELÁSTICOS, como fora a cautela de minha mãe. Só me coagi a reconhecer-me humano, passivo de erros. Mas a permanência nele não é o que me domina, mas sim o retorno à coerência perdida. Dos filhos da adversidade, tive que aprender a lidar com a melancolia. Achei que meu caso eternno com a solidão havia me ensinado uma maneira consistente de ser só sem ser melancólico. Foi o medo da solidão que me fez errar; é reconhecendo-a que me faço impelido a acertar.

De fato, a vontade, o desejo, nem sempre caminham sempre com a coerência. Insistiria que o mundo é repleto de cores e sabores que nos entortam à superficialidade, à rapidez, ao efêmero (como gosto dessa palavra!). Maria, minha mãe, costuma dizer que quando estamos conseguimos completar um etapa, quando alcançamos algo, a força contraditória da vida nos coloca em prova. É como se Ele dissesse, "demonstre em atos"... Não como um teste questionador, mas como a oportunidade de afirmação, a superação que propôe a dialética. Tese, Atitese e Síntese.

E não caminhando juntas, minha prova me derrubou. Procurar um amor num espetáculo de balé! Sou forçado a morrer e renascer. Quando percebo que minha história se repete, que como aludiu Marx, já não faço mais história e sim a farsa, começo a entender o silêncio bubônico, a presença lacônica de meus tios, e principalmente o olhar conternado e singiloso de meu pai. Me habituei a vê-lo e a não tê-lo. Sempre lá e com a cabeça no mundo, meu pai é um sonhador como eu e nuna entendi como tantos sonhos podiam viver num silêncio tão aterrador. Deus me deu a dádiva da poesia. As palavras explodem em emoção em mim e o risco de perder-me como ele fez, é outro. Se impregnar de tantos sonhos e se imbuir a respondabilidade de realizá-los é de uma expectativa descomunal para se carregar quando não se pode concretizar tudo aquilo para que se viveu os dias; aquilo que motivou todos os respiros diários. Hoje quando o olho, não vejo mais interrogação, vejo lágrimas contidas; um homem machucado pelo mundo por ter sido inocente o suficiente para sonhar mais do que pudesse fazer. Esse é meu pai. Esse sou eu. Sou, já tão jovem, espectro de minhas frustrações. O universo limita, cerceia. E há de cercear... Freud um dia já disse da necessidade da frustração para o contato social, para a realização do coletivo. E como encontrar a chave desse comportamento de modo a ser respeitoso consigo e com a alteridade. Alguns fluxos de pensamentos confusos me fariam dizer que já não acredito mais nessa conduta. Mas mantenho-me no projeto antes de relativizar tudo. Infelizmente meu pai não me é exemplo do limite que pode existir entre o constragimento, a consternação e o equilíbrio. Não posso perguntar à ele, quando começa o bom homem ponderado e termina o menino assustado. Terei de buscar esta resposta na vida. E que vida terei de ter para tê-la, pai? A cada manhã que me olho no espelho pareço mais com o homem que me foste pai. Aos poucos tento continua o teu projeto. Não... desde já reconheço que não terei resposta e sim mais perguntas. Mas sou mais íntegro e coerente na busca destas que na espera das respostas.
Obs: depois vejo os erros de ortografia...
Que a Força nos acompanhe

3 Comments:

Anonymous Ser inanimado e anônimo said...

Só queria re"z"istrar que a lua ta e sempre estará olhando por ti. Seja qual seja a distância...e que eu tive que conter as lágrimas.

Nossa!!! Quanta admiração e carinho por ti.

24 abril, 2007 23:48  
Blogger qualquer também said...

não foi medo da solidão que te fez errar, foi a certeza do que estava por vir.
Afinal, nada do que temos atrás de nós poderia ter corrido de forma diferente.
Certamente, a partir de agora, tudo caminha em seu lugar. A tempestade era apenas anúncio de bons tempos.

=.*

06 maio, 2007 11:08  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

22 janeiro, 2010 10:16  

Postar um comentário

<< Home